ONDE versus EM QUE, NA QUAL, NO QUAL

onde-em-que

Olá, pessoal!

Vamos falar um pouquinho sobre o uso do advérbio “onde” e das expressões “no/na qual e em que”?

O advérbio “onde” é usado com valor circunstancial, em frases interrogativas (diretas ou indiretas): onde está o livro?; perguntou-me onde estava o  livro. É adequado a situações locativas estáticas com o significado de “em que lugar”, “em qual lugar”: onde vivem os seus pais?; o lugar onde se situa a sua casa é muito bonito.

Contudo, vale ressaltar, que “onde” há várias funções no enunciado e o seu significado básico locativo acompanha os seguintes empregos:

A) como substituto de um circunstante locativo: encontrei-o no Rio de Janeiro, onde pensava que jamais o teria encontrado.

B) como elemento que estabelece relação de subordinação entre termos (o lugar onde eles nasceram) ou orações (não entenderam onde a conferência teria lugar).

Nos demais casos, é aconselhável usar as expressões “no/na qual” e “em que“?

Ex.:

Li um excelente ensaio em que o autor defende os seus argumentos.

O artigo no qual encontrei aquelas informações está na minha gaveta.

Esta é a reportagem em que ele denuncia todas as irregularidades.

A bolsa na qual coloquei as chaves ficou na casa da minha mãe.

Até breve e bons estudos!

Cláudia Valéria Lopes

Se gostou do post, deixe um comentário! 

Entrega a domicílio ou em domicílio?

www.pordentrodalinguaportuguesa.com

Quem, pelo menos uma vez na vida, já não ficou em dúvida em relação às expressões “a domicílio e em domicílio”? Qual é a forma correta? Antes de tudo, vamos refletir um pouco: os verbos dinâmicos (ir, dirigir-se, encaminhar-se, etc.) são regidos pela preposição “a” e os verbos estáticos (estar, ficar, permanecer, etc.) pela preposição “em”.

Contudo, pelo que pude perceber das leituras que fiz, a norma padrão do português europeu coloca a língua sob uma perspectiva mais dinâmica, aceitado, inclusive, as formas “entrega a/ao domicílio“.

Vale ressaltar que o verbo entregar admite regências diferentes:

1) bitransitivo no sentido de dar, pagar, restituir, denunciar, vender – ex.: Entreguei o livro à minha amiga;

2) transitivo direto no sentido de trair – ex.: entregaram o delator.

Em relação às formas “a domicílio e ao domicílio”, o substantivo entrega define uma modalidade de entrega e não o movimento de um lugar para o outro. Se estamos falando de um domicílio específico, podemos também dizer “entrega no domicílio” e “dar aulas em casa ou no domicílio”.

pizza-a-domiclio

No português brasileiro, o raciocínio é bem diferente, pois os seguidores da gramática normativa afirmam que a expressão correta é “entrega em domicílio“, uma vez que se trata de um verbo estático, sobretudo em função do paralelismo estabelecido com a expressão “entrega em casa” (do dicionário Houaiss “entrega em domicílio: serviço que leva ao endereço do usuário ou comprador o seu pedido ou algo que lhe foi enviado). Por outro lado, aceitam o uso da preposição “a” com os verbos dinâmicos enviar, ir, levar, dirigir-se, dentre outros:

Exemplos:

Verbos estáticos

Entregamos pizzas em domicílio.
– Atendem-se os clientes em domicílio.
– Dou aulas de italiano em domicílio.

Verbos dinâmicos

– Levamos as compras a domicílio.
– Vou a domicílio dar aulas de italiano.
– Levam-se encomendas a domicílio.

Acho, contudo, que se trata de duas expressões muito problemáticas, considerando que não há uma uniformização em relação ao seu uso. Os gramáticos menos tradicionalistas entendem o verbo “entregar” não como um verbo estático, mas dinâmico regido pela preposição “a” e, talvez, exatamente por isso, “entrega a domicílio” seja a expressão mais usada pelos brasileiros.

Até breve e bons estudos!

Cláudia Valéria Lopes

Se gostou do post, deixe um comentário!