Sobre a Língua Portuguesa

Por que é importante conhecer bem a língua portuguesa?

Conhecer bem a NOSSA LÍNGUA é um passo essencial para ampliarmos nossos horizontes. Através desse conhecimento, podemos:

a) nos expressar melhor e ampliar as chances de conquistarmos atenção e respeito dos interlocutores;

b) ler e compreender plenamente diferentes tipos de texto, mesmo os mais complexos;

c) expressar com clareza sentimentos e opiniões, para que ouçam e entendam;

d) escrever de forma atraente e coerente com o que pretendemos comunicar;

f) elevar o nosso nível cultural e apreciar plenamente cada nova informação adquirida.

A língua portuguesa no mundo

A língua portuguesa é o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Em cada um desses países, nossa língua incorporou palavras nativas, pronúncias próprias e formas diferentes de construir frases. Mas em todos eles, foi mantida a unidade com Portugal consolidada através de acordos ortográficos.

Nosso idioma também é conhecido em outras localidades do mundo, povoadas pelos portugueses no século XVI. São elas: Zanzibar, na Tanzânia (costa oriental da Ásia); Macau, território encravado na China que foi administrado pelos portugueses durante cerca de 400 anos; Goa, Diu, na Índia; e Malaca, cidade da Malásia declarada patrimônio mundial pela Unesco em 2008.

Atualmente, a língua portuguesa é a quarta língua mais falada no mundo, e este universo de falantes representa mais de 7% de toda a superfície continental da Terra.

De acordo com informações divulgadas pelo Instituo Camões, o português é a língua que apresenta uma das taxas de crescimento mais elevadas nas redes sociais, bem como na aprendizagem como língua estrangeira.

Até breve e bons estudos!

Cláudia V. Lopes

Se gostou do post, curta e compartilhe com seus amigos!

Beber ou tomar água?

PartyTime!.pngOlá, pessoal!

Qual estudante estrangeiro de língua portuguesa nunca teve dúvidas em relação aos verbos tomar e beber quando significam ingerir líquidos? A minha experiência como professora de português diz que quase todos tropeçaram ou irão tropeçar um dia.

A lista de significados do verbo tomar, em qualquer dicionário, é imensa, uma vez que podemos usá-lo em muitos contextos e com significados diferentes. Porém, há momentos em que tomar e beber são sinônimos “quase” perfeitos, e podem ser usados um no lugar do outro. Prestem atenção!

Em relação à transitividade, o verbo beber pode ser transitivo direto e, logo, precisaremos de um objeto direto:

Bebi um copo de água.

Ou intransitivo:

– Come e bebe muito.

Bebe demais!

Nos dois últimos exemplos, o verbo beber significa ingerir bebida alcoólica, embriagar-se. Aliás, no português falado no Brasil, na sua forma intransitiva, esse verbo está quase sempre relacionado a bebidas alcoólicas, aparecendo em muitas campanhas publicitárias Contra o Álcool no Trânsito: “Se dirigir, não beba”.

Créditos - web

Em ambos os casos, esses verbos indicam que estamos ingerindo líquidos e não importa se é água, suco ou bebida alcoólica.

O verbo tomar pode ser transitivo direto como beber e, naturalmente, precisaremos de um objeto direto:

Tomei (bebi) uma xícara de chá.

Tomei o remédio às 17h30.

arrow-304729_960_720 Regionalismo em Guiné-Bissau: “beber” com o sentido de ingerir “medicamento”.

No Brasil, não diríamos "beber o remédio".

Tomei (bebi) um copo de água.

Tomar (beber) dois litros de água por dia faz muito bem para a nossa saúde.

– Ontem, na festa, Carlos tomou (bebeu) todas. (ou seja, … embriagou-se porque tomou todas as cervejas e tudo o mais que continha álcool).

Notaram que com o sentido de ingerir líquidos podemos usar seja beber seja tomar? Todavia, tomar usado não sua forma intransitiva não tem o mesmo sentido de beber, como veremos no próximo post.

De qualquer forma, o assunto tratado hoje é fruto dos meus estudos e sensibilidade linguística, obviamente. Se o leitor tiver uma ideia diferente ou impressão em relação ao que leu, por favor, deixe um comentário.

Até breve e bons estudos!

Cláudia Valéria Lopes

Se gostou do post, curta e compartilhe com seus amigos!

 

A concordância do verbo FAZER

A concordância do verbo FAZER

Bom dia, pessoal!

Quem é que pelo menos uma vez na vida não teve dúvidas em relação à concordância do verbo FAZER quando indica tempo transcorrido?

“Faz cinco anos que não nos vemos” ou “fazem cinco anos que não nos vemos”? Qual seria a forma correta? É simples! O verbo FAZER torna-se IMPESSOAL quando indica tempo transcorrido e, logo, não deve ser flexionado. Por isso, a forma correta é “faz cinco anos que não nos vemos”.

Prestem atenção nas frases a seguir:

JÁ DEVIA FAZER 5 ANOS QUE NÃO NOS VIAMOS.

VAI FAZER DEZ ANOS QUE NÃO NOS VEMOS.

As locuções verbais que possuem o verbo FAZER com o mesmo sentido de tempo transcorrido devem seguir a mesma regra em relação à concordância. Em poucas palavras, os verbos auxiliares DEVER e FAZER não devem variar.

Um grande abraço e bons estudos!

Cláudia Lopes

“Através de” ou “por meio de”?

copertina_atraves-de

Oi, pessoal!

Quem é que já não ficou em dúvida na hora de usar as locuções “através de” ou “por meio de”? Pode parecer difícil, mas não é, por isso prestem atenção na explicação e nos exemplos.

1) através de – o vocábulo através é classificado como advérbio e significa  “de lado, de través, transversalmente, de atravessado”: ex. Hoje de manhã, vi uma grande árvore caída através da estrada.

Antes de substantivo, "através" pede sempre a preposição "de" - ex.: gosto de caminhar através dos campos.

Algumas locuções com “através de“:

a) Ver o sol através das nuvens (pelo meio de);

b) O raio passa através da matéria (por dentro de, pelo interior de);

c) O ladrão entrou na minha casa através da janela/do portão (pela janela, pelo portão);

d) Esses problemas prolongam-me através dos anos (no decorrer de com significado de “medida de tempo”);

f) Ele gosta de caminhar através de ruas e vielas (de um lado para o outro com o significado de “qualquer espaço delimitado”);

g) É importante educar os filhos através de exemplos (sentido figurado “por meio de”, “mediante”, e, neste caso, as locuções em questão seriam sinônimas).

Terão percebido que “através de” tem o significado de movimento físico, pois, no fundo, nos dá a ideia de alguém ou alguma coisa que atravessa ou se move, com exceção do último exemplo.

2) por meio de – a “locução por meio de” tem o significado de “por intermédio de, mediante, fazer uso de” e refere-se à ideia de instrumento com o qual executamos uma determinada ação.

Alguns exemplos com a locução com “por meio de“:

a) Por meio de uma chave falsa, o ladrão conseguiu abrir a porta;

b) Os presentes foram entregues por meio dos correios;

c) Eles se comunicam somente por meio de cartas;

Há alguns linguistas menos normativos que aceitam o uso de “através de” e “por meio de” nas mesmas situações. Porém, de acordo com a norma culta da língua portuguesa, as expressões em questão têm significados diferentes e devem ser usadas em modo distinto.

Até breve e bons estudos!

Cláudia Valéria Lopes

Se gostou do post, deixe um comentário! 

 

O que é sentir saudade?

saudade

Desde que comecei a estudar línguas (agora estou às voltas com o alemão!), sempre ouvi dizer que “saudade” figura entre os principais vocábulos no mundo para os quais é difícil encontrar um tradução perfeita e unívoca. De acordo com uma votação realizada por uma agência de tradução londrina, anos atrás, tal vocábulo coloca-se em 7° lugar na lista.

Mas o que significa exatamente sentir saudades? Segundo um dos mais famosos dicionários na língua portuguesa, Houaiss, “saudade” é: sentimento mais ou menos melancólico de incompletude, ligado pela memória a situações de privação da presença de alguém ou de algo, de afastamento de um lugar ou de uma coisa, ou à ausência de certas experiências e determinados prazeres já vividos e considerados pela pessoa em causa como um bem desejável.

saudade 2

Mas esse sentimento seria uma exclusividade dos falantes da língua portuguesa? Não acho. Afinal de contas, os sentimentos são universais. E mesmo que digam que é impossível encontrar uma tradução perfeita, não significa que nas outras línguas do mundo não existam vocábulos que tenham o mesmo significado. Vale ressaltar que o vocábulo “saudade” não pertence somente à língua portuguesa, pois deriva do latim “solitatem“, e, por isso, o encontramos em outras línguas românicas: soledad (espanhol) e soledat (catalão), que denotam, sobretudo, a nostalgia de casa, o desejo de retornar à terra natal.

A originalidade da língua portuguesa, a meu ver, foi ter estendido o termo a situações diferentes da nostalgia que temos de casa. A “saudade”, no fundo, é a expressão da dor que, em certo sentido, gostamos de sentir, “um bem desejável”. Então, por que dizem que é impossível traduzi-la? Talvez o problema esteja ligado à forma, à tradução em si. Na verdade, podemos sentir falta, isto é, sentir saudades de tantas coisas:

1 – de alguém que amamos e está longe ou ausente; 
2 – de um amigo a quem queremos bem;
3 – de alguém ou algo que não vemos há muito tempo;
4 – de lugares que visitamos ou moramos;
5 – de uma determinada comida;
6 – de situações vividas;
7 – de um grande amor que se foi;
8 – de alguém, amigo o parente, que tenha falecido.

Muitas vezes não nos damos conta, mas na nossa vida cotidiana, usamos frequentemente expressões nas quais figuram o vocábulo saudade, como, por exemplo: morrer de saudade”, “deixar saudade” e “matar saudade”:

1 – Estou morrendo de saudades do Brasil;
2 – Os anos 80 deixaram saudade;
3 – Quando eu for ao Brasil, vou matar a saudade dos meus parentes e amigos.

A expressão “matar a saudade” é usada para indicar a ausência (também temporânea) deste sentimento. Matamos a saudade quando temos nostalgia de alguma coisa, olhamos velhas fotos, falamos de um determinado assunto, revemos pessoas que estavam longe e assim por diante. No sul de Portugal, a expressão “mandar saudades”, significa enviar cumprimentos ou parabéns para alguém.

Escutem “Sintomas de saudade”, interpretada por Marisa Monte ❤

Etimologia: lat. solìtas,átis ‘unidade, solidão, desamparo, retiro’; der. do lat. sólus,a,um ‘só, solitário’, que se conservou nas línguas hispânicas, esp. soledad, port. saudade, onde ocorrem ainda as formas sodade, com monotongação au > o, e soidade com alt. au > oi; ver 2sol(i)-; f.hist. sXIII soydade, sXV saudade, sXV soidade, sXV ssuydade (Houaiss)

Até breve e bons estudos!

Cláudia Valéria Lopes

Se gostou do post, deixe um comentário! 

 

ONDE versus EM QUE, NA QUAL, NO QUAL

onde-em-que

Olá, pessoal!

Vamos falar um pouquinho sobre o uso do advérbio “onde” e das expressões “no/na qual e em que”?

O advérbio “onde” é usado com valor circunstancial, em frases interrogativas (diretas ou indiretas): onde está o livro?; perguntou-me onde estava o  livro. É adequado a situações locativas estáticas com o significado de “em que lugar”, “em qual lugar”: onde vivem os seus pais?; o lugar onde se situa a sua casa é muito bonito.

Contudo, vale ressaltar, que “onde” há várias funções no enunciado e o seu significado básico locativo acompanha os seguintes empregos:

A) como substituto de um circunstante locativo: encontrei-o no Rio de Janeiro, onde pensava que jamais o teria encontrado.

B) como elemento que estabelece relação de subordinação entre termos (o lugar onde eles nasceram) ou orações (não entenderam onde a conferência teria lugar).

Nos demais casos, é aconselhável usar as expressões “no/na qual” e “em que“?

Ex.:

Li um excelente ensaio em que o autor defende os seus argumentos.

O artigo no qual encontrei aquelas informações está na minha gaveta.

Esta é a reportagem em que ele denuncia todas as irregularidades.

A bolsa na qual coloquei as chaves ficou na casa da minha mãe.

Até breve e bons estudos!

Cláudia Valéria Lopes

Se gostou do post, deixe um comentário! 

Entrega a domicílio ou em domicílio?

www.pordentrodalinguaportuguesa.com

Quem, pelo menos uma vez na vida, já não ficou em dúvida em relação às expressões “a domicílio e em domicílio”? Qual é a forma correta? Antes de tudo, vamos refletir um pouco: os verbos dinâmicos (ir, dirigir-se, encaminhar-se, etc.) são regidos pela preposição “a” e os verbos estáticos (estar, ficar, permanecer, etc.) pela preposição “em”.

Contudo, pelo que pude perceber das leituras que fiz, a norma padrão do português europeu coloca a língua sob uma perspectiva mais dinâmica, aceitado, inclusive, as formas “entrega a/ao domicílio“.

Vale ressaltar que o verbo entregar admite regências diferentes:

1) bitransitivo no sentido de dar, pagar, restituir, denunciar, vender – ex.: Entreguei o livro à minha amiga;

2) transitivo direto no sentido de trair – ex.: entregaram o delator.

Em relação às formas “a domicílio e ao domicílio”, o substantivo entrega define uma modalidade de entrega e não o movimento de um lugar para o outro. Se estamos falando de um domicílio específico, podemos também dizer “entrega no domicílio” e “dar aulas em casa ou no domicílio”.

pizza-a-domiclio

No português brasileiro, o raciocínio é bem diferente, pois os seguidores da gramática normativa afirmam que a expressão correta é “entrega em domicílio“, uma vez que se trata de um verbo estático, sobretudo em função do paralelismo estabelecido com a expressão “entrega em casa” (do dicionário Houaiss “entrega em domicílio: serviço que leva ao endereço do usuário ou comprador o seu pedido ou algo que lhe foi enviado). Por outro lado, aceitam o uso da preposição “a” com os verbos dinâmicos enviar, ir, levar, dirigir-se, dentre outros:

Exemplos:

Verbos estáticos

Entregamos pizzas em domicílio.
– Atendem-se os clientes em domicílio.
– Dou aulas de italiano em domicílio.

Verbos dinâmicos

– Levamos as compras a domicílio.
– Vou a domicílio dar aulas de italiano.
– Levam-se encomendas a domicílio.

Acho, contudo, que se trata de duas expressões muito problemáticas, considerando que não há uma uniformização em relação ao seu uso. Os gramáticos menos tradicionalistas entendem o verbo “entregar” não como um verbo estático, mas dinâmico regido pela preposição “a” e, talvez, exatamente por isso, “entrega a domicílio” seja a expressão mais usada pelos brasileiros.

Até breve e bons estudos!

Cláudia Valéria Lopes

Se gostou do post, deixe um comentário! 

DE MAIS ou DEMAIS?

demais-ou-de-mais

 

Olá, pessoal!

Vocês sabem qual é a diferença entre “de mais” e “demais“? Já ficaram em dúvida entre um e outro na hora de escrever? Se a resposta for sim, vocês estão no lugar certo. Logo, prestem muita atenção, a diferença é sutil, mas muito significativa do ponto de vista semântico:

1) De mais separado é uma locução adverbial, que significa o oposto de “de menos“, quando nos dá a ideia de quantidade.

Ex.: A salada tem sal de mais para o meu gosto.

Todas as vezes que houver dúvida, tentem substituir "de mais" por "a mais".

2) Demais junto pode ser:

a) advérbio com significado de “em excesso”, “além da conta”, “além da justa medida” – ex.: Nunca é demais relembrá-lo que temos que chegar ao aeroporto às 7 horas da manhã; Por que você fala demais?;  “demasiadamente/em demasia”, “em maneira muito forte” – ex.: Gostei demais do seu texto!; Eles se amam demais.

b) pronome indefinito:

  1. como substantivo, com significado de “os outros”, “os que sobram ou os que são selecionados, escolhidos” – ex.: O senhor pode sair, os demais devem ficar.
  2. como adjetivo, com significado de “os outros” – ex.: Apresento-lhe os demais membros da empresa.
Ademais é um advérbio pouco usado que significa "além disso", "além do mais" - Ex.: Não consegue aprender com facilidade, ademais é muito desatento.

Até breve e bons estudos!

Cláudia Valéria Lopes

Se gostou do post, deixe o seu comentário! 

A vaca foi para o brejo

vaca ir para o brejo

Oi, pessoal!

Vocês conhecem expressão brasileira “a vaca foi para o brejo”? O brejo é um terreno alagadiço, lodoso, também denominado pântano. Em tempos difíceis e de seca, o gado vai em direção a brejos ou terrenos alagadiços, pantanosos, à procura de água.

Quando uma vaca vai para o brejo, acaba dando muito trabalho para ser removida, pois fica completamente atolada e pode até morrer, daí a expressão ter adquirido uma conotação negativa, indicando uma situação difícil e ruim ou que não se concretiza.

Exemplo:

Com a crise econômica, o nosso projeto de ir para a Itália no próximo ano foi para o brejo.

Variante: A vaca foi para o brejo de corda e tudo. 

Até breve e bons estudos!

Cláudia V. Lopes

Origem do vocábulo “sincero”

Olá, pessoal!

O adjetivo “sincero” talvez sejam um dos mais usados pelos falantes do português, pois está presente em várias expressões, tais como: “para ser sincero/a”, “estou sendo sincero/a com você”, ou até mesmo em sua forma adverbial “sinceramente falando”, etc. Uma pessoa sincera é uma pessoa que fala o que sente, sem dissimular, sem artimanhas e sem esconder nada do outro. Mas qual é a sua origem?

sine cera

(créditos da imagem – strength4thejourney)

De acordo com estudos etimológicos, o vocábulo “sincero”, presente em várias línguas modernas, deriva da união de dois vocábulos latinos: sine e cera > sincerus, ou seja, sem mistura, por extensão: leal, franco, verdadeiro. Acredita-se, porém, que se tenha originado partir de um antigo hábito que alguns escultores desonestos de Roma tinham: passava-se uma cera especial em esculturas de mármore, a fim de esconder eventuais imperfeições e defeitos do próprio material, enganando, desse modo, os compradores.

Com o tempo, as pessoas que compravam as esculturas davam-se conta das imperfeiçoes e descobriam que tinham sido realizadas “cum cera“. O senado romano teria, então, decretado uma leia que obrigava que todas as esculturas fossem vendidas “sine cera“, isto é, sem cera, sem trapaça, dando origem ao vocábulo “sincero”.

Contudo, existe uma outra versão para a sua origem: os romanos, pelo que sabemos, apreciavam muito certos vasos que eram fabricados com uma cera tão pura e perfeita que os tornavam transparentes, sendo possível distinguir alguns objetos colocados dentro deles.

Não importa qual seja a versão mais confiável, o fato é que, com o passar dos séculos, o vocábulo começou a ser usado com a conotação que conhecemos hoje.

Até breve e bons estudos!

Cláudia V. Lopes